Tudo sobre o Novo Passat

Vídeo do Novo Passat



O Salão de Genebra (Suíça), revelou a sexta geração do sedã Volkswagen Passat. O carro traz nova plataforma, estilo e motores, além de modificações mecânicas e amplo pacote de recursos tecnológicos.

O estilo do novo Passat é completamente diferente do da geração anterior, trazendo como destaque a grade do radiador em formato de V, marca registrada dos atuais modelos VW na Europa. No interior, o espaço, a comodidade e a segurança foram aprimorados e devem ser um dos principais atrativos para os consumidores de sedãs médios importados.

Embora a categoria tenha muitos representantes, a princípio, os rivais diretos do Passat serão Ford Mondeo e as versões de entrada do Citroën C5 e Peugeot 407. Embora não divulgue a expectativa de vendas, o objetivo da Volkswagen é a liderança.

Seis meses depois de sua apresentação, no início de outubro, o modelo chegou ao mercado nacional, trazendo como grande novidade o motor FSI, que incorpora sistema de injeção direta de gasolina. Segundo o fabricante, a vantagem desse propulsor é a economia de combustível. Com aparelhos de medição, conferimos o consumo e o desempenho do novo sedã.

O novo Passat é um carro completamente renovado, a começar pela plataforma, a mesma Golf Geração V, mas um pouco mais alongada. O modelo anterior utilizava arquitetura do Audi A4. Na comparação com a geração passada, o sedã ganhou 62 milímetros de comprimento, 74 mm de largura e 10 mm de altura. A distância entreeixos cresceu 6 mm. Com as medidas extras, o conforto dos ocupantes foi aprimorado, assim como a capacidade do porta-malas, agora de 565 litros.

Na traseira, as lanternas com desenho delgado chamam a atenção, enquanto a lateral privilegia as formas curvilíneas. As rodas de 16 polegadas, montadas em pneus 215/55, também se destacam. Aqui no Brasil, o Passat é oferecido em versão única de acabamento, a Comfortline, que prima pelo refinamento, com materiais de revestimento como couro, presente nos bancos (opcional), portas e alavancas. Para dar um certo ar esportivo a este sedã familiar, a VW também introduziu detalhes de alumínio na cabine, assim como volante de três raios, que oferece controle para as principais funções do carro.

O grande destaque visual do Passat é a grade do radiador em formato de V, nova identidade dos modelos europeus da Volkswagen, como o Polo. No pára-choque dianteiro, as entradas de ar são divididas em três sessões. Sobre as entradas de ar estão localizadas as luzes do pisca alerta. O desenho do conjunto ótico também é novo e traz faróis de xenônio (item opcional), disponíveis com sistema AFS. O recurso atua em contato com sensores ligados ao sistema de direção, permitindo aos faróis acompanhar a trajetória do veículo em curvas, o que aprimora a visão noturna.

O novo Passat vem com itens de série como ar-condicionado eletrônico digital, com controles individuais para os ocupantes dianteiros, sensores de chuva, chave de ignição eletrônica, rádio com CD Player e MP3, ajuste manual da altura dos bancos dianteiros, freios ABS, airbags, computador de bordo, entre outros. A lista de opcionais inclui teto solar elétrico, assentos revestidos de couro com aquecimento, sensor de estacionamento, rodas de 17 polegadas e banco dianteiro com ajuste elétrico.

Há ainda recursos tecnológicos como o ALS (Automatic Light Sensor), que liga as luzes do carro ao entrar em um túnel ou quando a intensidade da luz cai bruscamente. Outro destaque é o Auto Hold, dispositivo posicionado no console central, que freia o carro sem necessidade de acionamento do freio de mão. Este recurso, agora, não é mais acionado por alavanca no console, e sim por meio de uma pequena tecla localizada no painel, à direita do motorista. A solução é utilizada em alguns modelos da Audi.

DESEMPENHOO Passat é oferecido no Brasil, por enquanto, com única versão de motorização, a 2.0 FSI (Fuel Stratified Injection), com injeção direta de gasolina. Trata-se de uma tecnologia inédita em nosso país, que reformula o conceito existente de alimentação para propulsores do ciclo Otto. Em vez de adotar o modo tradicional, que mistura ar e combustível no tanque de admissão, o FSI executa a injeção da gasolina diretamente na câmara de combustão. Uma de suas principais vantagens, segundo a Volkswagen, é a taxa de compressão ampliada (11,5:1), o que reduz o consumo e o nível de emissões, além de melhorar o desempenho do carro.

O motor 2.0 FSI rende 150 cavalos e 20,4 kgfm de torque a 3.500 rpm. Testamos os Passat em trajeto rodoviário e urbano, nos quais o carro mostrou que, para quem espera desempenho esportivo, talvez seja melhor procurar outro sedã, equipado com propulsor mais forte. Embora a motorização 2.0 dê conta do recado, a condução do modelo da VW privilegia estritamente o conforto e a segurança. Na prova de aceleração de 0 a 100 km/h, o Passat precisou de 10,74 segundos. As retomadas não são lentas: o veículo precisa de apenas 6,7 segundos para ir de 40 km/h a 80 km/h. As medições foram feitas pelo Instituto Mauá de Tecnologia (IMT).
De 40 km/h a 100 km/h, o Passat precisa de 10,21 segundos, enquanto a retomada de 60 a 100 km/h é feita em 7,81 segundos. Todas as medições foram feitas com o câmbio automático Tiptronic, de seis marchas, na posição D (Drive). Partindo da imobilidade, o sedã leva 17,57 segundos para atingir 400 metros, com velocidade final de 129,6 km/h. Segundo a Volkswagen, a velocidade máxima do Passat é 208 km/h. Na prova de frenagem, o carro mostrou que os freios ABS agem com eficiência, precisando de 12,9 segundos para chegar a imobilidade, partindo da velocidade de 40 km/h.

Não tivemos muito tempo para testar as tecnologias em condições mais extremas, mas na Anchieta elas mostraram que dão conta de garantir segurança e conforto ao motorista e ocupantes do Passat. Assim, o sedã comprovou que deve agradar aqueles que apreciam a verdadeira vocação do segmento, que é o conforto. Para o consumidor que quer um pouco mais de esportividade, o câmbio automático Tiptronic traz opção de trocas manuais. O recurso garante certa emoção ao motorista, mas os mais apressadinhos no trânsito podem esperar mais um ano: em 2006, a VW promete trazer versões do modelo com motores mais fortes.

Os destaques da condução do novo Passat ficam por conta da posição de dirigir, assim como da visibilidade traseira, da ergonomia e do espaço interno. Além disso, o ambiente na cabine é refinado. O volante é pequeno e delicado, característica que deve atrair parcela de mulheres para o veículo, embora a VW afirme que 90% de seu público é formado por homens. Um dos pontos privilegiados pelo fabricante é dirigibilidade, e por isso o carro vem com ESP e ASR, respectivamente controle eletrônico de estabilidade e tração.

MERCADO

A Volkswagen adotou a estratégia de não divulgar a expectativa de vendas para o novo Passat, mas não nega que quer a liderança do segmento. O preço sugerido do sedã é R$ 124.659, que o coloca no nível do Ford Mondeo e das versões de entrada do Citroën C5 e Peugeot 407. Audi A4, BMW Série 3 e Mercedes-Benz Classe C com motores mais fracos também podem ser considerados concorrentes, embora tenham faixa de preço mais elevada.
Equipado com os itens opcionais disponíveis, o preço do Passat chega a cerca de R$ 165 mil, o que o coloca próximo de sedãs de mesmo porte equipados com motores seis cilindros, bem mais fortes, como Chevrolet Omega, Honda Accord, Toyota Camry e as versões topo de Peugeot 407 e Citroën C5. Por outro lado, a lista de recursos tecnológicos do Passat é a mais completa do segmento, e por isso a compra pode valer a pena. Em janeiro de 2006, chega a versão perua do modelo, o Passat Variant, que já pode ser encomendada nas concessionárias.
O carro fotografado nesta reportagem foi gentilmente cedido pela concessionária Primo Rossi
Ficha técnica VOLKSWAGEN PASSAT 2.0 FSI Motor Dianteiro, transversal, quatro cilindros em linha Cilindrada (cm³) 1.984 Potência (cv) 150 a 6.000 rpm Torque (kgfm) 20,4 a 3.500 rpm Taxa de compressão 11,5:1 Câmbio automático de seis marchas Comprimento (m) 4,76 Largura (m) 1,82 Altura (m) 1,47 Entre-eixo (m) 2,71 Porta-malas(l) 565 Peso (kg) 1.418 Suspensão Independente, tipo McPherson com mola helicoidal integrada na dianteira; independente, com braço transversal e longitudinal e mola helicoidal na traseira. Freios a disco ventilado na dianteira e traseira, com sistema ABS Tanque (l) 70 Preço a partir de R$ 124.659

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *