Chevrolet S10 mantém boa média de Vendas

Idade avançada do modelo não impede vendas

Os sinais da idade são facilmente perceptíveis na Chevrolet S10. Apesar das várias remodelações visuais – a mais . recente se deu no primeiro semestre de 2008 -, a picape não esconde seus mais de 14 anos de existência. Mesmo assim, se mantém firme nas vendas, apesar de rivais bem mais modernos, como Toyota Hilux, Nissán Frontier e Mitsubishi L200 Triton. ‘No ano passado, por exemplo, liderou as vendas no segmento de. picapes médias com mais de 31 mil unidades vendidas, bem à frente da segunda colocada, a Hilux, que não chegou a 22 mil. E o segredo de tantas vendas está justamente no fato de a S10 ter uma versão com preço abaixo de R$ 50 mil, ao contrário das concorrentes, cujos modelos de entrada ficam acima de R$ 70 mil. Tanto que a configuração Advantage Cabine Simples 4X2 2.4 FlexPower parte dos R$ .46.007 e responde por quase 40% das vendas da picape da General Motors.

É fato, porém, que a versão é a mais simples entre as onze que a S10 oferece no mercado. Sai de fábrica apenas com ar-condicionado, direção hidráulica, regulagem de altura do ‘volante, aviso sonoro de faróis acesos e de chaves na ignição, brake-light, para-choques traseiro com estribo. e piso antiderrapante, vidros verdes e espelho no parassol do carona. Na parte de segurança, freios com ABS e o diferencial traseiro com escorregamento limitado, batizado pela General Motors de trac-lock.

A lista de opcionais também é restrita. Trio elétrico, alarme na chave, janela traseira corrediça, faróis de neblina, rodas de liga leve aro 16, bagageiro no teto, capota marítima e luzes de leitura fazem o preço chegar a R$ 48.788, como o modelo avaliado. Além do preço ainda bastante atraente, a S10 ainda oferece um diferencial na motorização, pois é a única ·do segmento até agora a contar com motor f1exfuel.

A unidade 2.4 litros gera 147 cv de potência com álcool no tanque. e 141 cv com gasolina. O torque máximo chega a 21,9 kgf/m com ambos os combustíveis nas 2.800 rotações. Na estrutura, a S10 manter o mesmo chassi sobre longarinas do lançamento, ocorrido em 1995. A suspensão, modificada em 2000 e recalibrada nó face-lift do ano passado, é independente com braços articulados e barra de torção na frente. Atrás, permanecem os feixes de molas semielípticas de dois estágios. 

O desenho, porém, é o que mais denuncia o passar dos anos para o modelo. Na última remodelação visual, em maio de 2008, ganhou novas molduras para as lanternas e um novo quadro de instrumentos, além da gravatinha dourada da Chevrolet. A mudança visual mais significativa’ – e controversa – foi mesmo a adoção da tomada de ar” ao centro do capô, antes restrita às versões com motor turbo diesel. No entanto, a entrada não tem função de refrigeração alguma, já que não tem acesso ao cofre do motor. Ou seja, é puramente “cenográfica” .

Foi nesta última reestilização, aliás, que a S10 investiu no custo benefício e criou a versão Advantage. Justamente para brigar com a Ford Ranger Sport 2.3, única’ rival direta da versão mais básica do modelo da Chevrolet. A concorrente parte dos R$ 50.955, mas conta com itens de série que são opcionais na S10 Advantage, como trio elétrico, rádio/CD/MP3, alarme e faróis de neblina. De qualquer forma, a S10 permanece mais barata. E é esta matemática que faz a diferença em favor da mais veterana picape do mercado brasileiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *