Arquivo mensais:novembro 2008

Formula 1 – Motor canta o hino – Espetacular

Carro de Formula 1 da Renault toca música
O motor ta tão afinado que foi possível tocar o Hino Ingles só com o som do motor do carro, espetacular. Um? motor desses chega a 19 mil giros e vai dos 0 ao 19 mil em milesimos de segundos, os caras fizeram ele alternar as rotações conforme as frequencias das notas musicais. muito louco…
Agora imagina o arrepio da galera ao ouvir isso…

Saiba mais sobre o Novo Mustang

História do Mustang

Lançado em 17 de abril de 1964, no Salão do Automóvel de Nova York, o Mustang causou febre nos Estados Unidos. Só no primeiro dia foram 22 mil encomendas, entre as configurações cupê e conversível — também oferecidas no modelo atual. Naquele ano, o esportivo somou 126 mil unidades, número que saltou para impressionantes 607 mil emplacamentos em 1966. A Ford faturou 10 vezes o valor investido na criação do Mustang apenas nos dois primeiros anos, faturando US$ 6 bilhões.

Novo Mustang x Crise Financeira

Às vésperas do anúncio de socorro do governo de George W. Bush, Ford e as compatriotas General Motors e Chrysler aguardam o pacote salvador de US$ 25 bilhões, que pretende salvá-las da grave crise econômica que atingiu com força a indústria automobilística americana.

Paralelamente, quase ao largo deste cenário, o mítico Mustang surge reestilizado, em exibição no Salão de Los Angeles. Enquanto o planeta busca veículos menos poluentes, o clássico esportivo, equipado com motores vigorosos e beberrões, e vai na contracorrente do “ecologicamente correto”. Por ser um ícone da Ford e da própria indústria ianque, o Mustang representa força e tradição.

Remodelagem

Não por acaso, a remodelação mantém o visual retrô da atual geração do esportivo, lançada em 2005. O desenho característico, com teto baixo, capô comprido e muito músculo, remete aos modelos fabricados em meados da década de 60, especialmente na sua segunda geração, que chegou ao Brasil na versão Mach 1.

Próximo de completar 45 anos de existência, em abril de 2009, o Mustang perdeu um de seus principais apelos de vendas de décadas atrás: o preço acessível. Nos anos 60, o modelo tinha versões a valores muito convidativos, que partiam de pouco mais de US$ 2.300 — ou R$ 5.200. Já o novo Mustang, que chega ao mercado em meados de 2009, deve ter o preço reajustado para pouco acima dos US$ 19.735 iniciais, ou R$ 45.200, pedidos atualmente pelo cupê.

UM ÍCONE AMERICANO O Mustang precisava mesmo de uma remodelação, principalmente após o retorno recente dos arqui-rivais Chevrolet Camaro e Dodge Challenger. Por isso, a Ford promoveu diversas alterações no precursor dos pony-cars — ou carros-pônei, assim chamados por serem musculosos, compactos e equipados com motores “parrudos”.

O esportivo está mais encorpado por fora e requintado por dentro. Visualmente, ganhou pequenos retoques. Na dianteira, mais arredondada, as luzes de direção agora vêm juntas dos faróis e o capô ganhou um ressalto central mais pronunciado. Já na traseira, as lanternas mantêm as três seções de luz verticais, agora com recortes em diagonal nas extremidades inferiores externas.

Novas mudanças

As mudanças mais sensíveis estão no interior do Mustang, muito criticado por consumidores americanos pelo acabamento simples. A Ford passa a adotar materiais mais finos, com peças emborrachados e partes do painel em alumínio – que reforçam o caráter esportivo. Já o desenho foi basicamente preservado, com destaques para o tradicional volante de três raios e a forma simétrica que repete o contorno do estiloso quadro de instrumentos no lado do passageiro.

A Ford também mexeu um pouco na mecânica. O motor 4.4 litros V6 de 210 cv das versões de entrada permanece intocado. A mudança ficou com a grande “estrela” do Mustang, o propulsor 4.6 litros V8, com três válvulas por cilindro e sistema de válvulas variável. A engenharia da montadora modificou o duto de admissão, o que elevou os números de potência e de torque em 5%. A unidade de força que acompanha o pacote GT, com os tradicionais faróis de neblina colados na grade frontal, passa a despejar 319 cv aos 6 mil giros e generosos 44,9 kgfm de torque aos 4.500 rpm.

E o novo Mustang passa a oferecer um sistema inteligente de navegação por GPS, com informações do tráfego em tempo real e integração com o sistema de voz conectado ao som, para uso de celulares via Bluetooth e integração de mídias portáteis – como iPods, pendrives e cartões de memória. Há ainda um sistema de câmaras para auxílio nas manobras. São soluções modernas em um carro que conquistou gerações.

Por fim, algumas novidades eletrônicas interessantes foram incluídas no Mustang. Uma delas é o controle eletrônico de estabilidade, que passa a ser de série já dentro das futuras normas de segurança americanas, previstas para 2011. Na parte de entretenimento, o sistema My Color com 125 tons de iluminação diferentes para o painel permanece como um dos equipamentos mais incomuns.